0

[Saiba Mais ] Mark Helprin


Mark Helprin nasceu em Manhattan , New York , USA. É casado com Lisa (Kennedy) Helprin e juntos tem duas filhas : Alexandra e Olívia.
Ele estudou em Harward e fez pós graduação em Princeton. É judeu-americano e se tornou cidadão de Israel servindo na Infantaria e na força aérea desse país.
Seus livros já publicados são :
  • A Dove of the East and Other Stories (1975)
  • Refiner's Fire (1977)
  • Ellis Island and Other Stories (1981)
  • Winter's Tale (1983) -  publicado no Brasil como Um Conto do Destino através da Editora Novo Conceito
  • Swan Lake (1989)
  • A Soldier of the Great War (1991)
  • Memoir From Antproof Case (1995)
  • A City in Winter (1996)
  • The Veil of Snows (1997)
  • The Pacific and Other Stories (2004)
  • Freddy and Fredericka (2005)
  • Digital Barbarism: A Writer's Manifesto (2009)
  • A Kingdom Far and Clear: The Complete Swan Lake Trilogy (2010) - The collection of Swan Lake, A City in Winter, and The Veil of Snows in one volume.
  • In Sunlight and In Shadow (2012)
Dentre eles temos três livros infantis que foram ilustrados por Chris Van Allsburg : Swan Lake, A City in Winter e The Veil os Snows. Esses livros foram traduzidos para mais de uma dúzia de idiomas.

No Brasil,  Um Conto do Destino chega às livrarias pouco tempo antes da estréia da trama nos cinemas. 
Com uma escrita rica e poética, o livro promete uma viagem para Nova Iorque cruzando a linha do tempo e uma história de amor que rompe barreiras.
Ao ler, é possível sentir um misto de leveza e  perfeição nas descrições dos cenários, fugas e planos para roubos perfeitos.
A típica escrita de quem não tem pressa de concluir. A única pressa nesse caso, é a conexão do leitor com o enredo da trama de maneira muito natural.

Mas, apesar do grande sucesso de suas obras, Mark Helprin já esteve envolvido em muita polêmica.
Helprin escreveu um op-ed (contra-capa do editorial), publicado em 20 de maio de 2007 no The New York Times, no qual ele argumentava que a propriedade do direito intelectual deveria ser atribuída para um autor ou artista o máximo de tempo que o Congresso Americano conseguisse estendê-lo.

A arrebatadora resposta negativa à sua posição na blogosfera e em outros lugares foi publicada no Blog do New York Times no dia seguinte. Helprin disse que ficou chocado com a réplica.
Em abril de 2009, Harper Collins publicou “manifesto do escritor” de Helprin, chamado de Barbarismo Digital. Em maio, Lawrence Lessing escreveu uma crítica do livro entitulado “O Solipsista (aquele que acredita que sua própria existência é a única coisa que é real ou que pode ser conhecida) e a Internet”, no qual ele descreve o livro como uma reação para a “crítica pejorativa digital” feita sobre a op-ed (contra-capa do editorial) de Helprin no New York Times.

Lessing chamou o artigo de Helprin de “insanamente desleixado” e também criticou Harper Collins por publicar um livro “repleto com a maioria dos mesmos erros básicos sobre o fato”.

Como réplica a tal crítica, Helprin escreveu uma longa defesa em seu livro em 21 de setembro de 2009, na edição nacional da revista, a qual concluiu: “ Barbarismo Digital é não somente uma defesa de direito autoral como também um ataque sobre a distorção da cultura que tem se tornado o falso salvador numa era de tantos falsos salvadores.

Apesar da sua falta de perfeição mecânica, a humanidade, mesmo estranha como é, é muito superior à máquina. Ela sempre foi e sempre será, e esta convicção nunca deve ser vencida. Mas vencer esses dias é gradual, parece indolor, e vem tão quieto que a preocupação é o silêncio.

Em maio de 2010, Helprin escreveu um artigo no qual declarou que o militarismo da China está “na boca” de ser capaz de dominar Taiwan e o resto do Oeste da Ásia.

* Fonte :  http://en.wikipedia.org/wiki/Mark_Helprin

Postar um comentário

Posts Recentes

© Quem Lê faz seu Filme - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO