0

P.S. Eu te Amo

P.S Eu te Amo
Título Original : P.S. I Love You
Cecelia Ahern
Editora Novo Conceito

"Minha Amada Holly,
Não sei onde você está e onde exatamente está lendo isso. Só espero que esteja bem. Você me disse há pouco que não conseguiria continuar sozinha. Mas você consegue sim, Holly. Você é forte, corajosa e vai conseguir passar por isso. Vivemos coisas lindas juntos e você fez a minha vida... Você fez a minha vida. Não tenho arrependimentos. Mas sou apenas um capítulo de sua vida, muitos outros virão. Guarde nossas lindas lembranças, mas, por favor, não tenha medo de criar outras. Obrigada por me dar a honra de ser minha esposa. Por tudo, sou eternamente grato. 

Sempre que precisar, saiba que estarei com você;
Amor eterno, de seu marido e melhor amigo,
Gerry

P.S.: Prometi que faria uma lista, então aqui está. Os próximos envelopes deverão ser abertos exatamente no mês certo. Obedeça. E lembre-se de que estou cuidando de você, por isso vou saber. "

Holly e Gerry formavam um casal perfeito. Almas gêmeas que se conheciam desde a infância, se casaram e todos acreditavam que envelheceriam juntos e rodeados de netos. Mas parece que o destino não concordava com tamanha felicidade e acabou interrompendo os planos de Holly. Gerry se foi e agora era só Holly.

Holly afunda em um poço de depressão e arrependimento. Arrependimento por todas as brigas com Gerry , por todos os beijos não dados, por todos os "Eu te amo " não falados, por todos os gritos, enfim, uma infinidade de arrependimentos que não mudariam a situação. 
A comida perdeu o sabor, o corpo perdeu o banho, a mente quase perdeu a sanidade e a vida havia perdido o brilho mais intenso. Tudo agora era opaco e a única coisa que ainda a mantinha em pé eram seus amigos e a sua família.

E foi nesse ponto que a mãe de Holly lhe entregou " A Lista ". A lista era composta por 1 envelope por mês, dos meses de março até dezembro. Gerry continuaria vivo em formato de mensagens até dezembro, Holly mal podia acreditar no que estava acontecendo.
Holly só poderia abrir um envelope por mês e teria que cumprir a tarefa dada. Dez envelopes que prolongariam a estada de Gerry na vida de Holly e fariam que ela saísse daquela bolha que se tranformou a sua viuvez.

Cecelia Ahern criou um universo incrível onde a tristeza da morte se esconde através de laços familiares e o companheirismo dos amigos. Um duelo entre a morte e a vida que segue, que encanta pelo humor e pela escrita simples e direta.

O livro em uma palavra : Emocionante

Como quem lê faz seu filme, esse foi o primeiro livro que eu leio depois de ter assistido ao filme. Ah como eu queria ter lido antes ... 
Cecelia Ahern escreve muito gostoso e através de Gerry nos ensina que a vida precisa seguir o seu curso, mesmo quando perdemos alguém que amamos. E também que não somos nada sem nossa família e nossos amigos. Amigos que nunca esquecem uma "bola fora" ou um "grande mico", que estão do nosso lado sempre, mesmo que signifique mentir ou mesmo passar vergonha juntos. 

A família de Holly está longe de ser perfeita. Seu irmão mais velho que eu tenho vontade de socar, sua cunhada insuportável e sua irmã sem noção. E é justamente isso que dá a veracidade necessária para que possamos fazer comparações. E quem é que tem uma família perfeita ?

É impossível ler a cena do Karaoquê e não rir, assim como, é impossível ler a última carta de Gerry e não chorar. 
É emoção que aflora a medida que Holly vai percebendo que a vida precisava continuar.
Lindo demais !

Postar um comentário

Posts Recentes

© Quem Lê faz seu Filme - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO