0

@mor


@mor
Título Original : Gut Geden Nordwind
Daniel Glattauer
Editora Suma de Letras

"Sem assunto
Feliz Natal e Próspero Ano Novo.
É o que lhe deseja Emmi Rothner.

Fw :
Cara Emmi Rothner, nós mal nos conhecemos ou não nos conhecemos absolutamente. Contudo, agradeço pelo seu afetuoso e muitíssimo original e-mail coletivo ! Sds, Leo Leike."



Emmi Rothner e Leo Leike se esbarraram virtualmente por acaso. Primeiro, Emmi tentanva cancelar a assinatura de uma revista, depois  mandou um Feliz Natal coletivo incluindo por engano (novamente) o e-mail do Leo. A partir desse ponto, um se deslumbra com a escrita do outro e os e-mails passam a ser como um oásis no dia a dia.
Ora ácidos, ora sarcásticos, o que Leo e Emmi gostavam mesmo, era de abrir a caixa de entrada e encontrar um e-mail a espera. Uma rara e agradável massagem no córtex cerebral como Emmi gostava de dizer.
Começa quase como uma brincadeira, mas torna-se uma compulsão, uma necessidade, uma paixão.
O jogo da aparência e pequenos detalhes de suas vidas nas entrelinhas daqueles e-mails, os tornavam tão íntimos quanto velhos conhecidos. O problema era que Emmi era casada e não pensava em trair o marido, ou pelo menos, gostava de pensar que não pensava em trair o marido. Já Leo, tinha acabado de sair de um relacionamento e ainda amargurava a solidão.
Leo era para a Emmi um aprendizado, um flerte anônimo que não sairia disso. Mas, o jogo de sedução acidamente e por muitas vezes, eroticamente escrito trava uma verdadeira batalha com as questões morais. Os dois se vêem tão envolvidos, tão dependentes daquela droga que se apresentava na caixa de entrada de seus e-mails, que por vezes a questão moral ficou um pouquinho de lado e eles pensaram em se encontrar e dar vazão aquela imensidão de desejos.

Daniel Glattauer leva o leitor ao verdadeiro êxtase ao revelar as trocas de e-mail entre Leo e Emmi . A fantasia do encontro, a emoção do proibido e principalmente a questão moral, uma vez que Emmi é casada e gostaria de permanecer assim, fazem de @mor um livro mais que emocionante.
Em cada e-mail a linha tênue entre o que pode ser considerado uma traição está quase como uma mensagem subliminar. Ir em frente, viver essa emoção, continuar com os e-mails ou "pisar no freio" e voltar a realidade. @mor consegue dividir opiniões conservadoras e fazer o leitor torcer por um desfecho seja ele qual for.

O livro em uma palavra : êxtase

Como quem lê faz seu filme, @mor me fez ler as páginas rapidamente, ora torcendo por Emmi, ora pelo marido, ora por Leo. O autor mantém a trama animada e ácida pelo livro todo e o grande apogeu que seria o encontro, faz o leitor ler mais rapidamente para chegar ao final. 

EU QUERIA UM FINAL (Sim, estou gritando ! ) Mas, o livro tem uma aparente continuação em Every Seventh Wave que eu não me aguento de vontade de ler.


Postar um comentário

Posts Recentes

© Quem Lê faz seu Filme - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO