12

Lonely Hearts Club

Lonely Hearts Club
Elisabeth Eulberg
Editora Intrínseca

Love is all you need ...
Ou será que não ?

" Eu, Penny Lane Bloom, juro solenemente nunca mais namorar enquanto viver.
Tudo bem, talvez eu reconsidere essa decisão em dez anos, ou algo assim, quando não estiver mais morando em Parkview, Ilinois, nem frequentando a escola Mckinley, mas por hora, não quero mais saber de garotos. São todos a escória da humaninade, mentirosos e traidores.
Sim, todos eles. A essência do mal.
Claro que alguns parecem ser legais, mas, assim que conseguem o que querem, dão o fora em você e partem para o próximo alvo.
Então, cansei.
Chega de namorar.
Fim. "

Penny Lane Bloom era filha de um casal fã de carteirinha dos Beatles e juntamente com suas irmãs carregava esse amor no próprio nome.
O que Penny não carregava era o prazer de amar e ser amada. No auge de sua adolescência, Penny já possuía uma lista de decepções amorosas. A última não poderia ser contabilizada como um desafio, era na verdade uma batida de frente para uma parede.
Enganada, traída e usada, ela encontrou em um antigo cartaz dos Beatles a inspiração para criar um clube nunca visto antes : Lonely Hearts Club.

O Lonely Hearts Club foi criado para abrigar garotas que estavam cansadas de se decepcionar. O objetivo do clube era recriar a autoestima e fazê-las entender que existe vida sem namorado. E assim, elas poderiam ser elas mesmas e não uma imagem para agradar esse ou aquele garoto.

Quem não viveu a experiência da pressão por um passo a mais no namoro que atire a primeira pedra rsrsrs

Bom, a idéia do clube foi genial. Penny que foi naturalmente a primeira integrante, consegue reunir e resgatar antigas amizades. O que Penny não contava era com a a hostilidade dos garotos da escola McKinley após o clube estar famoso e cheio de participantes. Como as meninas entravam para o clube e a premissa principal era não mais namorar, com quem eles iriam namorar ? Coitadinhos ! Estavam sem opções rssrsrs

Penny vivia momentos conturbados com o crescimento do Lonely Hearts Club.
Ela era uma espécie de líder, mas o que ninguém sabia ( nem ela mesma) era que um colega da escola despertava sentimentos inesperados e aquele infeliz que Penny havia se casado várias vezes quando tinha cinco anos, estava tentando mais uma vez fazê-la cair em tentação com mensagens de texto melosas.

Oh Penny ! Parece que o seu coraçãozinho está longe de ser solitário.

O livro em uma palavra : Fofo

Como quem lê faz seu filme, Elisabeth Eulberg conseguiu escrever um chick-lit muito engraçado enaltecendo o valor das garotas. Ninguém precisa fazer o que não quer só para manter um namoro. Outro ponto importante, colocado de maneira muito sutil, é a importância de se dar a volta por cima quando o namoro termina ou aquele gatinho te "sacaneia".

O livro é todo musical. Para cada momento, Penny sempre tinha uma música dos Beatles para animar o ambiente. E assim, os únicos garotos que sempre estavam disponíveis para tudo chamavam-se John, Paul, George e Ringo.

Ei, você que vive ou viveu intensamente a juventude, esse é um livro que certamente te fará imaginar um filme e tanto rsrsrs

Postar um comentário

Posts Recentes

© Quem Lê faz seu Filme - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO