10

A Guardiã da Minha Irmã

A Guardiã da Minha Irmã
Título Original : My Sister´s Keeper
Jodi Picoult
Verus Editora

"- E o que fez vocês procurarem um geneticista ?
- Limitações de tempo - eu digo com fraqueza. - Não podíamos ter um filho atrás do outro até que um deles fosse compatível com a Kate. O médico examinou diversos embriões para ver se algum deles seria um doador ideal para ela. De quatro embriões, tivemos a sorte de achar um compatível, e ele foi implantado através de fertilização in vitro.
Nadya lê suas anotações.
- Vocês receberam cartas de pessoas indignadas, não foi ?
Brian assente.
- As pessoas acham que estamos fazendo um bebê sob medida.
- E não estão ? "

Jesse e Kate são os filhos mais velhos de Brian e Sara. A família estava perfeita e feliz. Um menino e uma menina lindos e saudáveis.
Tudo ia bem até que Kate foi diagnosticada com um tipo muito raro de câncer. A doença, o tratamento, a luta pela sobrevivência de Kate de uma forma geral, viram a razão de viver desses pais. Sem perceber eles acabam negligenciando a si mesmos, o filho mais velho e a bebezinha que chega não para completar a família, mas para salvar a vida de Kate.

Brian era um bombeiro apaixonado por astronomia. Ele registrou sua filha caçula com o nome de Andrômeda. Uma princesa oferecida em sacrifício que foi salva por Perseu.
Um final feliz o fez escolher esse nome como um presságio do futuro. E assim, Andrômeda ficou mais conhecida como Anna, a bebê que já nasceu com uma enorme responsabilidade : salvar a vida da sua irmã mais velha.

Anna sente falta de uma história para contar. Os colegas de escola tem várias histórias sobre o nascimento. Um namoro que evoluiu, um pai que queria muito um menino, uma mãe que não queria passar pela vida sem a experiência da maternidade, enfim, histórias que para Anna se resumiam a Kate e um álbum fotográfico que pulava etapas.

Anna doa saúde para Kate desde o cordão umbilical. Depois linfócitos, medula óssea, granulócitos, células-tronco periféricas . A lista cresce e sempre tem algo de Anna que Kate precise.
Os pais não hesitam, mas e Anna ? Alguém perguntou o que ela acha ? Alguém perguntou como ela se sente como doadora involuntária ?

O enredo te deixa literalmente boquiaberto. Um relato dramático de um família completamente desestruturada pela doença que teima em consumir um dos entes queridos.
Alternando a perspectiva dos envolvidos, somos apresentados aos relatos em primeira pessoa dos personagens. Até mesmo o advogado e a curadora tem suas perspectivas relatadas.
E tudo isso, deixa o leitor em completo nocaute. Ver a história de fora é uma coisa. Passar por ela e ver um filho ser completamente devastado pela doença, é outra completamente diferente. Não escolho nenhum lado porque todos tem suas razões e motivos nobres, mas acredito que Jodi Piccoult soube passar a mensagem do livro de forma brilhante.

O livro em uma palavra : devastador

Como quem lê faz seu filme, Anna mexeu muito comigo enquanto mãe. Algumas perguntas surgiram em minha cabeça, tais como:
- Até onde eu iria por um filho ?
- Dá para fazer escolhas racionais quando se trata dos filhos ?
E por último, eu só consegui pensar em como eu sou feliz sem o prêmio da megasena, sem a casa de prais dos sonhos, sem conhecer outros continentes, mas vivendo em plenitude com a saúde dos meus filhos.
A Guardiã da Minha Irmã certamente ficará na minha mente por muito tempo.


O filme Uma Prova de Amor foi baseado no livro A Guardiã da Minha Irmã. Deixo o trailer para vocês sentirem um pouquinho do clima do livro.





Postar um comentário

Posts Recentes

© Quem Lê faz seu Filme - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO