15

Escuridão - Elena P. Melodia

Escuridão
Título Original : Buio
Elena P. Melodia
Editora Suma de Letras

"De vez em quando fico pensando o que seria de minha vida se fosse feia, se não tivesse os olhos verdes, que gosto de fincar nos rapazes para deixá-los intimidados, ou os cabelos negros e lisos, brilhantes de dar inveja a uma gueixa, ou este corpo que continua magro não importa o quanto coma. Como seria a minha vida ?
Seria um único, colossal, irremediável horror. Podem pensar o que quiserem. A verdade é que a beleza é uma forma de poder.
A única que tenho."

Alma é uma garota que acaba que sobreviver a um acidente horrível, acaba de perder o padrasto e agora tem pesadelos horríveis. Ela é tão segura de si que em poucas páginas se torna irritante.
Ao lado de suas amigas, é uma espécie de líder. Seline, sempre alegre e curiosa, poderia viver para fazer compras. Agatha, sinistra e calada, tem a independência como forma de defesa. E Naomi que transborda coragem e vivacidade. As quatro formavam uma espécie de fraternidade onde para entrar a pessoa deveria passar por uma série de provas e se mostrar digna de confiança.

Tudo corria normalmente no colégio e em casa, até que os pesadelos de Alma passam a ser uma espécie de premonição de crimes violentos. Cada detalhe dos crimes é descrito no caderno roxo que ela comprou apenas porque gostou da cor. Além disso, uma aura de acontecimentos ruins cobre todas as suas amigas. Cada uma delas, atingida de uma forma diferente.

Assassinatos, estranhos rituais macabros e Alma se vê perseguida por inimigos silenciosos que a seguem ao cair da noite. Qual era a conexão ? Será que ela poderia confiar em alguém ?

Elena P. Melodia descreve as cenas com uma riqueza por muitas vezes, excessiva de detalhes. Você se conecta imediatamente com a cena, mas às vezes essa técnica deixa a leitura um pouco cansativa. Principalmente quando nos deparamos com uma protagonista tão convencida e segura de si como a Alma. Quando o lado investigativo da protagonista entra em ação, o enredo fica mais chamativo e a leitura flui muito bem.
É interessante como o livro muda a partir desse ponto. Mil e uma possibilidades despontam da investigação e ficamos tentando adivinhar as possíveis conexões.

O livro em uma palavra: Sobrenatural

Como quem lê faz seu filme, no início eu odiei a Alma. Eu senti raiva por sua arrogância, mas depois me conectei tanto que no final, já fiquei achando que tudo era uma defesa para seus mais profundos medos e desamores. Alma é daquelas protagonistas que fazem nascer sentimentos controversos durante a leitura e isso me fez gostar da autora italiana.
Outro ponto interessante, é a mistura de fantasias como rituais, seitas e a conotação sobrenatural que brota das páginas.
Só me resta agora, aguardar a continuação dessa trilogia para obter as respostas que ficaram no ar.

Conheça a trilogia:

- Escuridão
- Sombra
- Luz

Postar um comentário

Posts Recentes

© Quem Lê faz seu Filme - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO