15

Como Falar Dragonês

Como Falar Dragonês
Título Original: How to Speak Dragonese
Cressida Cowell
Editora Intrínseca

" - Os Hooligans não, repito, NÃO falam latim. O que andam ensinando a você na aula de Como Amedrontar Forasteiros? Quando um Hooligan encontra um forasteiro, ele grita bem alto e lentamente. Essa é a única língua que um forasteiro compreende.
Hooligans também não conversam com dragões. Ou escrevem livros sobre eles. Você passa muito tempo rabiscando coisas sobre dragões em vez de se preparar para ser um Chefe."

Na tribo vicking dos Hooligans Cabeludos, Soluço ainda era um inútil e Banguela ainda era um dragãozinho mimado e birrento.

Soluço Spantosicus Strondus III e seu fiel dragão pequeno e birrento agora precisam aprender a próxima lição.
A aula de Como Abordar uma Nau Inimiga consistia em utilizar a embarcação construída na aula anterior para abordar uma nau inimiga, seguindo as técnicas vickings de Bocão Bonarroto.
O grande problema é que o barco de Soluço, Papagaio-do-mar Esperançoso, mais parecia um acidente flutuante do que um barco de verdade e, sendo assim, essa aula não acaba muito bem.

Essa história de herói não está intimamente ligada a Soluço , Banguela e Perna de Peixe. Eles acabaram presos por um exército de romanos que ficaram com Banguela como prisoneiro.

Voltando para a Iha de Berk , soluço precisava justificar entre outras coisas a perda do seu dragão e metade do seu livro de anotações de Dragonês. Esse livro relatava todos os avanços de Soluço nesse idioma mais que necessário para o treinamento de Dragões.
Alguns exemplos:
Nhac na pança = Morder alguém na barriga
Nhac na garra = Morder alguém no dedo

Aparentemente, o estudo de Soluço não era fato de muito orgulho para seu pai.
Estóico, o grande, queria que seu filho se preparasse para assumir a liderança e não escrevesse livros de dragonês e aprendesse outras línguas. Tudo que um vicking deveria saber era gritar e bem alto.

Além da missão de salvar a tribo dos Hooligans e a tribo das Ladras de uma guerra em vão , Soluço precisava recuperar Banguela e de quebra reconquistar a confiança de seu pai e líder Stóico.
Soluço tinha uma única chance de impedir o pior e só podia contar com a ajuda de Banguela, Perna de Peixe e uma inimiga que se tornara aliada chamada Camicazi.
Camicazi rouba a cena com suas convicções sobre ser a Mestra da Fuga e a relação das Ladras do Pântano e chaves e cadeados.

Muitos planos mirabolantes, alguns aliados e já que não possuia força bruta, sobra então usar a cabeça para criar uma tática que lhes rendesse a vitória e a vida.
Nosso pequeno grande herói precisou vencer dragões-tubarão, romanos e um inimigo que volta para cobrar o que acha que é seu em Berk.

O livro em uma palavra: engraçado

Como quem lê faz seu filme, só a capa desse livro é uma aventura a parte. Eu e meus filhos ficamos um bom tempo só admirando os detalhes da capa. As ilustrações do interior do livro estão lindas e mega engraçadas. Dão vida aos personagens !

Soluço e Banguela provam mais uma vez que, apesar de não serem uma dupla convencional, são uma dupla. Na hora do aperto mais vale um cérebro pensante que um monte de gritos e músculos. Uma lição que não constava no programa de Bocão Bonarroto mas que acabou por salvar a tribo dos Hooligans Cabeludos de uma guerra desnecessária.

* Colaboradores: Rafael S.Araújo e Matheus S.Araújo :-)

Conheça os outros livros dessa série :
- Como Treinar o Seu Dragão
- Como Ser Um Pirata
- Como Falar Dragonês
- Como Quebrar a Maldição de um Dragão
- How To Twist a Dragon's Tale
- A Hero's Guide to Deadly Dragons
- How to Ride a Dragon's Storm
- How to Break a Dragon's Heart
- A Hero's Guide to Sword Fighting

Visite o site da série clicando aqui.

Postar um comentário

Posts Recentes

© Quem Lê faz seu Filme - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO