21

Sangue e Gelo

Sangue e Gelo
Robert Masello
Editora Suma de Letras

" Michael passou a mão na geleira e , mesmo através da luva grossa, sentiu o poder ancestral e em estado bruto da montanha de gelo, capaz de demolir qualquer coisa em seu caminho, de forma lenta e implacável.
E então ele de fato ficou sem ar. Completamente.
Entre seus dedos, ele viu ... um rosto.
Afastou-se do paredão, confuso e assustado, deixando uma trilha de bolhas de ar."

Michael Wilde é um fotógrafo aventureiro que escreve para a revista Eco-Travel. Michael vivia um momento sombrio em sua vida após o acidente que vitimou a sua melhor amiga e namorada.
Ver Kristin em coma, praticamente sem vida em um leito de hospital não ajudava. Ver Karen, a irmã de Kristin tão parecida, tão jovial e tão cheia de vida ajudava menos ainda. O convite para a reportagem na base da Antártica se tornou um desafio capaz de tirá-lo do torpor da culpa.


Em 1856 temos a história do tenente Sinclair e a enfermeira Eleanor. Eles se conheceram um pouco antes e o amor aconteceu.
Era uma época muito rígida e Eleanor viu seu coração em pedaços quando o 17º grupo de lanceiros vai lutar na guerra da Criméia levando o tenente Sinclair diretamente para a linha de frente.
Eleanor, sua amiga Moira e a sra Nightingale acabam indo para a guerra como enfermeiras voluntárias. Eleanor vê as piores mazelas da sua vida e acaba encontrando o seu amado no leito de um hospital de campanha.

Os caminhos dos dois se cruzam e uma terrível maldição também cruza o caminho deles. Sinclair não podia deixar Eleanor morrer da febre que assolava o hospital.

E como essas vidas se cruzam ?
Bom, enquanto Michael se aventurava na estação de pesquisa de Point Adélie com seus novos amigos cientistas e militares, um bloco de gelo jazia intacto no oceano com os corpos de Sinclair e Eleanor apelidados carinhosamente como a Bela adormecida e seu Príncipe encantado.
A partir desse ponto o que há de mais fantástico e assustador acontece em Point Adélie. Um lugar que era um mar de calmaria passa a viver um pandemônio.
Nada mais fazia sentido.
Todos corriam perigo.
Mortes e acontecimentos bizarros transformam Point Adélie em um lugar sinistro e apavorante.

O livro em uma palavra: aventura

Como quem lê faz seu filme eu contrariando diversas opiniões, amei o começo do livro porque adoro escaladas e não escalo, adoro mergulhos e não mergulho, adoro passeios de barco e não consigo fazer. Enfim sou uma aventureira virtual. rsrsrs Ao ler sobre o Michael e toda a viagem até o Pólo Sul eu fiquei encantada com a riqueza de detalhes. Foi possível até sentir frio em muitas páginas.
A parte histórica de Point Adélie é fantástica. A forma como a estação baleeira e as atrocidades cometidas por lá são descritas, garantem momentos de muita raiva. Pra quê matar as pobres das baleias ?

Quem espera um livro totalmente sinistro e com grandes mistérios pode se decepcionar um pouco porque aqui a aventura anda de mãos dadas com o romance e o mistério acaba ficando com uma dose pequena.

Livrão que em ponto algum se torna monótono. Boa leitura garantida !


Recomendadíssimo.


Assista ao Booktrailer e fique com mais vontade de ler :-)

Postar um comentário

Posts Recentes

© Quem Lê faz seu Filme - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO