20

Flávia de Luce e o Mistério da Torta


Flávia de Luce e o Mistério da Torta
Alan Bradley
Editora ARX

O coronel De Luce, após a morte de sua esposa Harriet, criava sozinho suas três filhas : Ophélia de 17 anos, Daphne de 13 e Flávia de 11. Triste e completamente solitário, o coronel gostava mesmo é de selos postais.

Flávia, de longe, era a garota prodígio da casa.

Ao encontrar um antigo livro chamado "Um Estudo Elementar de Química", que um dia pertenceu a sua mãe Harriet, Flávia se localiza no mundo.


Olhe esses trechos:

" em minutos ele me ensinou que a palavra iodo vem de um termo que significa "violeta", e que o nome bromo deriva de uma palavra grega que significa "mau cheiro". Pág 18

" Nele estavam detalhados todos os metais alcalinos: alguns com nomes fabulosos, como lítio e rubídio; os terrosos, como estrôncio, bário e rádio. Vibrei em voz alta quando li que uma mulher, Madame Curie, descobrira o rádio." Pág. 18

A caçula dos De Luce foi ao céu, quando descobriu instruções precisas para manipulação de venenos. Dentro da química, de longe seus prediletos.

Apaixonada por química e profunda admiradora de Marie Anne Lavoisier e Robert Bunsen, tinha um laboratório de química inteirinho ao seu dispor em uma ala da mansão chamada Buckshaw. Sabe qual é o apelido de seu laboratório ? Sanctum Sanctorium ou simplesmente Santo dos Santos.
Seu laboratório era o lugar onde, além de estudar sua grande paixão, Flávia também preparava experimentos especiais destinados especificamente às suas irmãs.
Tais experimentos são descritos com riqueza de detalhes e ganham destaque especial em um diário para registro das reações adversas.

Mas nem só de química era feita a vida dessa garota prodígio. Ao encontrar um homem em seu suspiro de morte, na sua horta de pepinos, Flávia trava uma verdadeira odisséia para desvendar esse crime colocando em prática seus dotes de detetive. Sua curiosidade era importante, mas mais importante que isso, era livrar seu próprio pai das acusações de um crime acontecido dentro dos portões de Buckshaw.
Nem os dramas dos tempos de colégio de seu pai, nem os selos valiosos roubados de seus donos, impedem Flávia de cumprir seu objetivo: Desvendar o Mistério .

Alan Bradley nos leva a uma Inglaterra antiga e nos apresenta Flávia de Luce, uma garotinha muito à frente de seu tempo, que sabe como desvendar mistérios e enlouquecer policiais. Os estudos de Flávia e suas traquinagens a fim de desvendar o mistério da torta são descritos com uma linguagem leve e a riqueza de detalhes é impressionante. Esse livro já encantou leitores em mais de 27 países e certamente encantará você !

O livro em uma palavra: interessante.

Como quem lê faz seu filme, eu fui levada a uma aula de química tão gostosa que pude até esquecer que não gostava dessa matéria. Ser apresentada ao pensamentos de Flávia me fez acreditar que química é a revelação de tudo. Incrível não é ?
Mas não pára por aí ! Essa garotinha dá um verdadeiro show ao explicar detalhadamente ao policial qual seria o melhor exame para a autópsia do tal defunto do jardim de pepinos. Só digo uma coisa: É impossível não visualizar a cara de bobo do policial !

Vale lembrar que o livro é o primeiro da série The Buckshaw Chronicles
1º - Flávia de Luce e o Mistério da Torta
2º -
Flávia de Luce e o Teatro de Marionetes
3º - A Red Herring Without Mustard ( previsto para 2011 nos EUA)
4º - Seeds of Antiquity (sem previsão de lançamento )
5º - Death In Câmera
6º - The Nasty Light of Day

Confira o Book Trailer que dá vida aos personagens:



Não esqueça de visitar o site da Flávia de Luce. Lá você encontra o 1º capítulo do livro, jogos e muito mais. É uma graça ! Passa lá !
http://www.editorasaraiva.com.br/flaviadeluce/

Postar um comentário

Posts Recentes

© Quem Lê faz seu Filme - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO