4

O Símbolo Perdido - Dan Brown

Em cada livro do renomado Dan Brown encontramos uma polêmica diferente. Nesse não poderia ser diferente e a bola da vez é a Maçonaria ou Francomaçonaria.

O aclamado professor de simbologia de Harvard, Robert Langdon está de volta. Dessa vez tudo se passa em Washington, o berço simbólico da maçonaria nos Estados Unidos.

Peter Solomon, renomado secretário do museu Smithsonian e venerável mestre maçon do grau mais elevado (o 33) é amigo e mentor do professor Langdon .
Peter é irmão de Katherine Solomon , uma cientista que estuda os fenômenos da ciência noética.
Noética é uma disciplina que estuda os fenômenos subjetivos da consciência, da mente, do espírito e da vida a partir do ponto de vista da ciência. Quer saber mais ?
Clique aqui

Robert Langdon com seu pára raio de encrencas, ao chegar para dar uma simples palestra no
Capitólio dos Estados Unidos, se vê em uma rede de intrigas e segredos para salvar a vida seu amigo e mentor, Peter Solomon.
Ao perceber que seu amigo foi sequestrado por um fanático que acredita que maçons fundadores de Washington esconderam um tesouro revelador, Robert não vê outra alternativa a não ser embarcar nessa trama.


CIA , maçons , o arquiteto do Capitólio e a própria Katherine Solomon se juntam ao professor para desvendar essa trama envolta em simbologia tecnologia e mistérios.
Nem sempre é fácil saber quem está do lado de quem, mas Robert só tem uma certeza: tudo está conectado.

Quem
pensa que Washington não se revela tão fascinante quanto o Vaticano ou Paris, está enganado.
Dan Brown nos hipnotiza com palavras e é possível muitas vezes sentir o coração bater mais apressadamente nas escadarias ou até mesmo o frio dos andares da famosa sala secreta abaixo do Capitólio.
Dan Brown nos relembra ainda que desde a infãncia somos apresentados a eterna luta entre o bem e o mal.

Graças aos contos de fadas, essa batalha primitiva do "bem contra o mal" é implantada em nossa mente quando ainda somos crianças: Merlin contra a fada Morgana, São Jorge contra o Dragão, Davi contra Golias, Branca de Neve contra a bruxa e até mesmo Luke Skywalker contra Darth Vader
.
Vem cá ! Existe um vilão mais vilão que Darth Vader ?
Adorei essa explicação do autor em relação a eterna luta do bem e o mal e principalmente como os contos de fadas se tornaram contos morais homogeneizados. Show !E falando ainda de Darth Vader, Dan Brown nos fascina ao descrever a Catedral Nacional de Washington como o local que possui:
  • 10 pedras do Monte Sinai
  • 1 pedra do próprio céu
  • o pai obscuro de Luke

Eu voltei essa página porque pensei que tinha entendido errado. Mas segundo D.Brown, o pai obscuro de Luke é nada mais, nada menos que uma gárgula de Darth Vader na Catedral Nacional de Washington, representando a face mais obscura do mal.
Genial, não é ?
O livro é um imenso dicionário de questões maçonicas e artísticas.
Por que 33 é o número escolhido para o posto máximo da maçonaria ?
O que são os antigos mistérios ?
O que significa apoteose ?
Albrecht Durer e seu quadro/esconderijo.
E claro que não podia faltar, Issac Newton e sua escala de medição.
É muita informação regada por uma escrita detalhista e de puro suspense!

O livro em uma palavra: denso.

Como quem lê faz seu filme, o meu era invadido por Nicholas Cage e A lenda do Tesouro Perdido. É quase impossível não lembrar desse filme ao ler O Símbolo Perdido.

Beijos de fada.
Luka.


Postar um comentário

Posts Recentes

© Quem Lê faz seu Filme - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO