3

O Baile dos Deuses

Trilogia do Círculo
Segundo livro - O Baile dos Deuses
Nora Roberts
Publicado em 2006 USA


O círculo de 6 estava formado. Hoyt o Feiticeiro, a Bruxa Glenna que chegou do futuro, Cian o vampiro irmão de Hoyt e cruelmente transformado por Lilith, Moira erudita, princesa e futura rainha de Geall, Larkin o Shifter e o guerreiro que todos tinham certeza que era King, o amigo de Cian.
A Deusa Morrigan juntou essas 6 pessoas de mundos diferentes a fim de derrotar a vampira Lilith e seu exército que juntos planejam dominar os mundos. Lilith foi a responsável pela morte e transformação de Cian, irmão gêmeo de Hoyt o feiticeiro. Lilith não se conforma com o fato de sua criatura se voltar contra o criador e golpea Cian em sua maior vulnerabilidade.

Ainda no primeiro livro da trilogia percebemos que realmente o cargo de guerreira era mesmo para ser de Blair. Uma descendente da família de Hoyt e Cian que carregava a cruz de Morrigan e era de fato uma caçadora de vampiros em outro mundo.

Se no primeiro livro a paixão de Hoyt e Glenna foi épica e invejável, capaz de ascender luzes e tudo mais, no segundo temos Blair e Larkin. Uma caçadora de vampiros teimosa e durona e um Shifter lindo e persistente e ainda por cima lorde de Geall. Tentador não é ? Pois é, Larkin é dono de uma sinceridade e um bom humor tão natural que consegue avançar algumas barreiras e cicatrizes antigas em Blair. Quem vence essa queda de braço? Não se pode mesmo fugir do destino ?

Já Cian, o vampiro Irlandês-Novaiorquino de olhos de bolinha de gude e dono de um humor pra lá de sarcástico, começa a nos deixar em dúvida se seu coração é realmente desprovido de sentimentos.

Não era só necessário muito treinamento para enfrentar Lilith e seu exército, precisavam descobrir onde seria a batalha e quando e como chegar até lá. A Deusa Morrigan deu trabalho pra essa gente! Pessoas com histórias de vida diferentes unidas por um destino.

Muito trabalho, muita união, muita magia, muita força e determinação marcaram o segundo livro dessa trilogia. Uma paixão recheada de declarações de amor em gaélico, passeios com dragões e entrega nos fazem transcender.
Como quem lê faz seu próprio filme, o meu me levou direto a um mundo, ou melhor, a mundos onde tudo pode acontecer. Escuridão, morte, luz, arco-íris, passeios de dragão, lutas de prender a respiração e enfim cenas de amor e entrega. Hum que cenas... Ei Nora, não tem um dragão sobrando pra mim????

Estou amando essa trilogia porque é bem diferente de tudo que a Nora costuma escrever e a mistura de elementos me fascinou desde o início. Só espero que os fãs brasileiros não precisem esperar muito para ver essa trilogia tão especial nas livrarias.

Postar um comentário

Posts Recentes

© Quem Lê faz seu Filme - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO